Arquivo da tag: Single

Escute “Pray”, o novo single promocional do Sam Smith

Sam Smith lançou nesta sexta-feira (06) mais uma faixa promocional do seu novo álbum.  A canção “Pray”, foi composta Sam, Timbaland, James Napier, Timbaland, Darryl Person,  Larrence Dopson e Jose A. Velasquez.

Confira a letra e tradução a seguir:

[Verse 1]
I’m young and I’m foolish, I’ve made bad decisions
I block out the news, turn my back on religion
Don’t have no degree, I’m somewhat naive
I’ve made it this far on my own
But lately, that shit ain’t been getting me higher
I lift up my head and the world is on fire
There’s dread in my heart and fear in my bones
And I just don’t know what to say

[Chorus 1]
Maybe I’ll pray, pray
Maybe I’ll pray
I’ve never believed, and you know, but I’m gonna pray

[Verse 2]
You won’t find me in church (No) reading the bible (No)
I am still here and I’m still your disciple
I’m down on my knees, I’m begging you please
I’m broken, alone, and afraid
I’m not a saint, I’m more of a sinner
I don’t wanna lose, but I fear for the winners
When I try to explain, the words run away
That’s why I am stood here today

[Chorus 2]
And I’m gonna pray, pray
Maybe I’ll pray, pray for a glimmer of hope
Maybe I’ll pray, pray
Maybe I’ll pray
I’ve never believed, and you know that I’m gonna

[Bridge]
Won’t you call me?
Can we have a one-to-one, please?
Let’s talk about freedom
Everyone prays in the end
Everyone prays in the end
Won’t you call me?
Can we have a one-to-one, please?
Let’s talk about freedom
Everyone prays in the end
Everyone prays in the end

[Chorus 3]
Oh, and I’m gonna pray, I’m gonna pray
I’m gonna pray, pray for a glimmer of hope
Maybe I’ll pray, pray
Maybe I’ll pray
I’ve never believed, and you know, but I’m gonna pray

TRADUÇÃO

[Verso 1]
Sou jovem e sou tolo, tomei decisões ruins
Bloquei as notícias, virei as costas para a religião
Não tenho diploma, sou um pouco ingênuo
Eu fiz isso tão longe sozinho
Mas ultimamente, essa merda não está me deixando maior
Levanto a cabeça e o mundo está em chamas
Há medo no meu coração e medo nos meus ossos
E eu simplesmente não sei o que dizer

[Refrão 1]
Talvez eu rezei, rezei
Talvez eu rezei
Nunca acreditei, e você sabe, mas vou rezar

[Verso 2]
Você não vai me encontrar na igreja (Não) lendo a Bíblia (Não)
Ainda estou aqui e ainda sou seu discípulo
Eu estou de joelhos, eu estou implorando por você, por favor
Estou quebrado, sozinho e com medo
Eu não sou um santo, sou mais um pecador
Não quero perder, mas temo pelos vencedores
Quando eu tento explicar, as palavras fogem
É por isso que estou aqui hoje

[Refrão 2]
E vou rezar, rezar
Talvez eu reze, reze por um vislumbre de esperança
Talvez eu reze, reze
Talvez eu reze
Eu nunca acreditei e você sabe que vou

[Ponte]
Você não me liga?
Podemos ter um cara-a-cara, por favor?
Vamos falar sobre liberdade
Todos oram no final
Todos oram no final
Você não me liga?
Podemos ter um cara-a-cara, por favor?
Vamos falar sobre liberdade
Todos oram no final
Todos oram no final

[Chorus 3]
Ah, e vou rezar, vou rezar
Eu vou rezar, rezar por um vislumbre de esperança
Talvez eu reze, reze
Talvez eu reze
Nunca acreditei, e você sabe, mas vou rezar

Sam comenta sobre o lançamento de ‘Too Good At Goodbyes’ e revela mais detalhes sobre o segundo álbum

Sam concedeu uma entrevista ao Elvis Duran Show para discutir sobre seu novo single ‘Too Good At Goodbyes’ e revelou mais detalhes sobre o segundo álbum. Confira abaixo:

Muitas pessoas não sabem que eu estava com Sam Smith há duas semanas e ouvimos esta música pela primeira vez. Nós colocamos para tocar numa sala cheia de geeks de rádio e vi o olhar em seu rosto quando eles começaram a aplaudir de pé, eles te ovacionaram, foi inacreditável, como você se sente?

Parece incrível e quero dizer, naquela época, eu ainda estava insanamente nervoso, não consigo explicar o alívio que estou sentindo agora em apenas ter lançado a música, porque a manti muito perto do meu coração por muito tempo tempo, então estou tão feliz que agora a música está aí e as pessoas podem decidir se gostam ou não.

Bem, eles já decidiram praticamente e acho que você se saiu bem, Sam. Você sabe o que isso significa, quero dizer, eles podem gostar ou detestar a música, como você se sente sobre isso?

Eu fico insanamente nervoso, quero dizer, mais nervoso do que cantar ao vivo. Eu fico mais nervoso quando lanço músicas porque minha música é tão pessoal e é como se alguém estivesse lendo meu diário, então é assustador, realmente assustador. A última semana não foi a mais agradável, mas eu me sinto muito melhor agora e estou feliz.

Há muito por trás de um lançamento, esse será seu segundo álbum e na última vez que estávamos falando sobre isso, você comentou sobre o quanto você estava nervoso era seu primeiro álbum, mas isso agora é algo totalmente diferente. Você pode explicar a todos o que o segundo álbum significa para você e o quanto é diferente do primeiro?

Bem, para mim, este álbum que estou prestes a lançar é mais do que um álbum, cada música nele significa muito para mim e nunca lutei com meu coração ou com minha alma em algo tanto quanto eu tenho feito nesse registro. É verdadeiramente o assunto mais pessoal que já escrevi na minha vida inteira e é insanamente assustador trazê-lo ao mundo mas estou muito orgulhoso disso e achei muito difícil deixá-lo, mas estou pronto agora o trabalho está finalizado e parece adorável, mal posso esperar para estar nas mãos das pessoas.

Nós esperamos um pouco para vê-lo com lançamentos, mas o fato de você ter demorado tanto tempo e tido muito cuidado, porque você quer ser perfeito, eu acho que também significa muito.

Não é necessariamente sobre ser um perfeccionista porque amo todas as imperfeições, é mais sobre apenas tomar o tempo para voltar a algum senso de realidade e passei um tempo em Londres com minha família e meus amigos em casa apenas tentando criar histórias reais e experiências reais sobre as quais posso escrever músicas e foi emocionalmente maravilhoso, tem sido um ano incrível, mas estou tão animado para tocar ao vivo e começar a cantar porque realmente senti falta de tocar ao vivo.

Então, Sam, você disse que esse é o seu álbum mais pessoal, eu sinto que sua música está entre as mais pessoais de todos os artistas. Sua música é tão real que é dificil imaginar que em seu segundo album será ainda mais translúcida

Bem, o primeiro álbum é sobre um cara e um sentimento que eu tive, eu estava apaixonado e foi um disco sobre corações partidos e já nesse álbum cada música representa uma história separada e eu sinto que você aprende mais sobre mim ao ouvir esse registro e eu me coloco mais à frente com minhas opiniões sobre certas coisas, há canções sobre meus relacionamentos e também há algumas histórias de pessoas que eu amo e que são muito próximas de mim, então eu sinto que é um album mais revelador, eu fui mais honesto e também me tornei muito privado na minha vida pessoal, então, para que eu revele minha vida pessoal na minha música, demora muito, eu sei e fiz isso nesse album.

Então, de tudo o que você fez até agora na sua carreira, o que o deixou mais aterrorizado com o momento mais nervoso?

Cantar no Oscar, na verdade eu não gostei. Tive tanto medo, foi horrível.

O que você fez para fingir e superar isso?

Eu tinha que fingir ser Beyoncé, basicamente, eu simplesmente lembro de estar nos bastidores apenas tentando respirar porque era difícil, são muitas pessoas assistindo esse show, acho que são 90 milhões de pessoas, foi uma canção muito difícil de cantar e ter Tom Hardy sentado à sua frente é meio intimidante.

É tão bom ouvir sua música novamente. Há alguma data antecipada para o lançamento do álbum?

Primeiramente eu só queria dizer obrigado por seu apoio desde o início, honestamente, significa o mundo para mim e sobre o álbum, virá antes do Natal, não posso dizer quando, mas antes do Natal, não está longe, eu prometo.

Fonte/Adaptado

TOO GOOD AT GOODBYES: Confira o que a crítica especializada achou da música

Sam Smith é conhecido por ter uma boa recepção da crítica com suas músicas, e com “Too Good At Goodbyes” não vai ser diferente. Confira agora o que a crítica especializada achou da nova faixa do cantor.

VARIETY:

“Mais uma vez, Smith nos encanta com as profundezas da melancolia com um tenor impecável, sem esforço e flexível que parece ser ter sido emprestado de algum lugar nos céu. […] Talvez você também gostaria de uma ponte majestosa que nunca chega; que pode ser o elemento que faltava para a tímida “Goodbyes” um clássico pop. Mas a voz mágica e trágica de Smith é o seu próprio tipo de classicismo, derretendo-o com a sua vulnerabilidade […]”

PITCHFORK:

“Talvez Smith na verdade seja bastante notável em manipular friamente situações emocionais tensas. Mas tão simples como a música está passando bem os conceitos de adeus, as letras não se somam a tudo isso. “Você deve pensar que sou estúpido”, ele começa, mas nada que indica o que seria esse o caso. “Eu apenas estou protegendo minha inocência”, ele acrescenta mais tarde, mas se ele é tão veterano disso, como ele pode ser tão inocente? Ele também canta que você não o verá chorar, mas depois de cantar que ele já chorou, as outras vezes que essa pessoa o deixou. Aguarde, isso não faz a outra pessoa boa em adeus? Pior ainda, seu vibrato aqui soa exagerado como a produção. Ainda há esperança para seu próximo álbum, mas essa música? Menino, tchau.”

HUFFPOST:

“Sam Smith está de volta com outro hino para corações partidos. E desta vez, ele tem um coro gospel atrás dele. Fiel à forma, a melodia lembra um romance disfuncional, e a voz de Smith é acompanhada por um coro de gospel à medida que a música se constrói.”

ET:

“No novo single, Smith traz sua habilidade para a emoção de fala suave para um lugar mais melancólico. Ao contrário de sua maior música até o momento, “Stay With Me”, onde Smith de alguma forma traz uma sensação de romance para uma posição de uma noite, “Too Good at Goodbyes” é quase incubadora, proclamando-se frio pela dor de ser maltratado por um ex-amor.”

MTV:

“Ele ainda soa como um anjo – ele está apenas um pouco triste dessa vez. O primeiro single do segundo álbum de Sam Smith está aqui, e uma coisa é certa: a pessoa que decidiu que não queria ficar com ele é um idiota. Se “Too Good At Goodbyes” é um sinal de coisas por vir, Smith está dormindo com os sons que fizeram sua estréia em 2014, no “In The Lonely Hour”, tão celestial. Muito piano, cordas requintadas, encravamentos dos dedos e o calor de um coro em segundo plano, e aquela voz aveludada e oitava puxa um golpe imediato, e aquela nota que atinge um acorde desolado. Tão lindo quanto a música é, ele corta mais do que a maioria da sua produção até o momento. “Too Good At Goodbyes” toca o tipo de ferida com a qual estamos infelizmente familiarizados,  da frustração que vem quando um amor te colocou para baixo de muitas vezes. Quem nunca disse “Eu nunca vou deixar você perto de mim / Mesmo que você se importe mais comigo / Porque toda vez que me abro, dói” em um momento vulnerável, seja em privado ou para pessoa que quebrou seu coração? “Too Good At Goodbyes” é muito boa e muito real, e estamos aqui pelo Smith, porque ele continua evoluindo como compositor.”

PAPERMAG:

“A canção é sobre um relacionamento chegando ao fim, e tem todos os apetrechos típicos do Smith: notas altas, um coro de harmonização e uma letra triste, mas bonita.”

BUSTLE:

“A letra de “Too Good At Goodbyes” de Sam Smith é para você que  precisa acordar para sair de um relacionamento ruim. […] Depois de dois longos anos fora dos holofotes, Sam Smith liberou um novo single chamado “Too Good At Goodbyes”, e está realmente incrível. A melodia, o tempo, os vocais de Smith – tudo em ponto. E, como se mostra, as frases de  “Too Good At Goodbyes” podem ser apenas a coisa que você precisa para sair de um relacionamento tóxico. […] A música se move junto com Smith, oferecendo uma lembrança das paredes emocionais que ele construiu ao longo de todo o dramatismo. Você quase pode sentir a dor se transformar em raiva quando a música em movimento progride.”

TOO GOOD AT GOODBYES: Escute o novo single do Sam Smith

A ESPERA ACABOU LITTLE SAILORS!! Finalmente o primeiro single do novo álbum do Sam Smith foi liberado.

A faixa “Too Good At Goodbyes” foi composta por Sam Smith e Jimmy Napes (trabalhou com Sam no “In The Lonely Hour”), e a produzida por Jimmy Napes e Stargate (trabalhou com Beyoncé, Rihanna, Coldplay, Sia, entre outros).

Escute o single a seguir, na íntegra no spotify: