Todos os post de felipe

Sam Smith se apresenta no Today Show

Divulgando seu novo álbum “The Thrill Of It All”, lançado na última sexta-feira (03), o Sam se apresentou no programa “Today Show”, nos Estados Unidos. Ele cantou “Too Good At Goodbyes”, “Stay With Me” e pela primeira vez na TV, “One Last Song”. Confira:

Escute o “The Thrill Of It All”, o novo álbum do Sam Smith

A ESPERA ACABOU LITTLE SAILORS! Valeu a pena esperar três longos anos por essa obra de arte. O Sam se dedicou por inteiro neste álbum, com ajuda de Jimmy Napes, Timbaland, Stargate, entre outros produtores e nos entregou um álbum incrível, que está com uma recepção excelente pela crítica especializada do mundo todo. Você pode ouvir o álbum completo a seguir e deixe sua música favorita nos comentários.

Confira o que a crítica especializada achou do “The Thrill Of It All”

O “The Thrill Of It All”, segundo álbum de estúdio do Sam Smith, já está sendo avaliado pela crítica especializada, com opiniões bem positivas no geral. Confira o que os críticos estão dizendo sobre o novo álbum:

NEWSDAY

Nota: 3,5 de 4 estrelas

O segundo álbum mostra a crescente confiança de Sam Smith

Sam Smith está de volta com um álbum de segundo ano, “The Thrill of It All”, cheio de mais histórias de desilusão e amor não correspondido. Mas ao contrário de sua impressionante estréia em 2014 com “In the Lonely Hour”, Smith agora canta de uma posição mais forte e confiante, que se reflete na música.

Para “The Thrill of It All”, o cenário musical é muito melhor do que em sua estréia, embora a voz de Smith ainda seja suficientemente distinta e poderosa o suficiente para dominar todas as músicas.

“Pray” é o exemplo mais ousado de sua força vocal, como ele extravagantemente tira as notas do coro, estendendo-as de maneira que outros cantores teriam feito através de truques tecnológicos. As torções vocais de Smith fazem que o seu canto sobre a decisão de rezar pareça ainda mais pungente. “HIM”, onde Smith declara seu amor por outro homem e aceita as conseqüências, é a sua afirmação lírica mais ousada, cantando com força: “Não tente me dizer que Deus não cuida de nós, é ele que eu amo”.

Entretanto, Smith pode ser o mais bem sucedido, quando ele transforma a alma de Memphis da velha escola por “Baby, You Make Me Crazy”, extraindo energia da seção de metais e os vocalistas de apoio para criar seu momento musical mais edificante e uma das melhores músicas do ano, mesmo que seja sobre outra luta num relacionamento.

Às vezes, a tristeza de Smith torna-se um tanto irresistível, mas sua voz continua sendo uma maravilha, fazendo “The Thrill of It All” uma declaração ainda mais poderosa do que seu emocionante álbum de estréia.

SLANT

Nota: 3,5 de 5 estrelas

“É tentador ler o título do álbum ironicamente, mas, por mais dolorido do que Smith, ele também está envolvido e vivo, canalizando seus demônios para músicas que são imediatamente acolhedoras, calorosas e com a alma.”

“Isso não quer dizer que o conservadorismo do álbum não deixa algumas perguntas sobre a direção de onde Smith se dirigiu. Ele aprofundou seu ofício sem expandir-se exatamente, o que faz com que “The Thrill of It All” se sinta mais como uma refinada que uma nova aventura ousada “.

The Independent 

Nota: 4 de 5 estrelas

“A voz de Smith continua sendo uma coisa maravilhosa para se admirar. Na “One Last Song” de com estilo antigo de Soul, ele varre suavemente em um alto tenor claro sem escapar da falsetto, evocando assim uma conexão emocional mais genuína; e seus toques de vibrato em “Burning” são sutilmente controlados, contra os coros de apoio corais que dão ao álbum um poderoso sabor evangélico.”

Metro

Nota: 2 de 5 estrelas

“Mesmo para a orelha não educada, é óbvio que o cantor de 25 anos é um ninja temerário da técnica vocal. O que torna a “emoção” nesse título duplamente desconcertante, porque não se relaciona com nada nesse estilo e conscientemente “movendo” o soul-blues definido…”

“As emoções são notoriamente confusas, mas o material controlado de Smith não reflete nada disso. Se “The Thrill Of It All” tivesse mais constipação, viria com compridos laxantes “.

Consequence Of Sound

Nota: B

“Mesmo em um álbum de 10 canções, ‘The Thrill of It All’ tem um ponto maçante ou dois… mas estes são pequenas coisas triviais, e em estimulantes 35 minutos, o álbum é tão bem construído que passa voando rapidamente por qualquer ponto ruim.

Se sentindo muito confortável; aos 25 anos, Smith ainda pode cantar fora do tipo de canções de amor que ele poderia cantar quando ele tinha 20 anos. Mas ele também cresceu e ‘The Thrill of It All’ é ainda melhor quando ele sai da sua zona de conforto.”

Rolling Stone

Nota: 4 de 5 estrelas

“O segundo álbum de Smith mostra um dos vocalistas mais poderosos e expressivos de sua geração.”

“HIM” eleva um conjunto de canções brilhantemente cantadas em um potente álbum conceitual que universaliza o desamor de um ponto de vista distintamente LGBTQ. Sim, as batidas mágicas de “Latch” são perdidas. Mas aqui estamos esperando uma remix para boates de “HIM”, que irá dominar os clubes gay nos próximos anos.”

EW

Nota: B

“Uma dessas é a surpreendente “HIM”. Ajudado por um coro, a música é construída a partir de baladas de piano estelares para evangelho tremendo. O som é tradicional, mas o assunto de Smith é: o ponto é o encontro de um homem lutando para reconciliar seu amor com sua fé cristã. “HIM” combina um desempenho pungente com uma mensagem poderosa e, ao fazê-lo, faz o que outras faixas não fazem – realmente emociona.”

The Guardian

Nota: 3 de 5 estrelas

“É uma pena, e uma oportunidade perdida. Há um certo poder para The Thrill of It All, mas poderia ter sido um álbum muito mais potente se eles tivessem demitido o polonês um pouco. Ainda assim, nada disso pode prejudicar as chances de Smith de replicar o sucesso do platinado álbum de sua estréia “In The Lonely Hour”. Se as contribuições de Adele para o tipo de álbuns de fim de relacionamento nos ensinaram qualquer coisa, é que milhões de pessoas em todo o mundo não são contrárias a mais do mesmo.”

The Sun

“O cantor transforma a dor em triunfo com seu segundo álbum”

“O músico Sam Smith entrega um álbum que valeu a pena esperar três anos desde a sua estréia em 2014”

LA Times

“The Thrill of It All” demonstra o impressionante crescimento de Smith como vocalista e compositor.”

Sam Smith lança inédita “Burning”

O Sam Smith lançou nesta quinta-feira (26) mais um inédita do “The Thrill Of It All” que será lançado no dia 3 de novembro. A faixa “Burning” é a terceira revelada do novo álbum até o momento, sendo foi produzida por Jimmy Napes e  

 

LETRA:

I’ve been burning
Yes, I’ve been burning
Such a burden
This flame on my chest
No insurance to pay for the damage
Yeah, I’ve been burning up since you left

I’ve been smoking, oh
More than twenty a day
Blame it on rebellion
Don’t blame it on me
Wish I was younger
Back to the nineteenth of May
I had an open mind
Swore to never change

Funny how time goes by
Had respect for myself
That river ran dry
You reached a limit
I wasn’t enough
It’s like the fire replaced all the love

I’ve been burning
Yes, I’ve been burning
Such a burden
This flame on my chest
No insurance to pay for the damage
Yeah, I’ve been burning up since you left

Oh, have you ever called
I will burst straight back
Give you my forgiveness
And the shirt off my back
No friends to turn to
Yeah, I messed up that
Wish we could smoke again
Just for a day, oh

Funny how time goes by
Had respect for myself
That river ran dry
You reached a limit
I wasn’t enough
And it’s like the fire replaced all the love

I’ve been burning
Yes, I’ve been burning
Such a burden
This flame on my chest
No insurance to pay for the damage
Yeah, I’ve been burning up since you left

Yeah, I’ve been burning up since you left
Oh, I’ve been burning up since you left

TRADUÇÃO

Eu estive queimando
Sim, estive queimando
Um fardo
Essa chama no meu peito
Sem seguro para pagar os danos
Sim, estive queimando desde que você me deixou

Eu tenho fumado, oh
Mais de vinte cigarros por dia
A culpa é da rebelião
Não me culpe
Gostaria de ser mais jovem
De volta ao dia dezenove de maio
Eu tinha uma mente aberta
Jurou nunca mudar

Engraçado, como o tempo passa
Tinha respeito por mim mesmo
Aquele rio secou
Você atingiu um limite
Eu não era suficiente
É como se o fogo substituísse todo o amor

Eu estive queimando
Sim, estive queimando
um fardo
Essa chama no meu peito
Sem seguro para pagar os danos
Sim, estive queimando desde que você me deixou

Oh, você já ligou
Vou explodir
Te dar meu perdão
E a camisa fora das minhas costas
Não há amigos para recorrer
Sim, eu estudei isso
Desejo que possamos fumar novamente
Só por um dia, oh

Engraçado, como o tempo passa
Tinha respeito por mim mesmo
Aquele rio secou
Você atingiu um limite
Eu não era suficiente
E é como se o fogo substituísse todo o amor

Eu estive queimando
Sim, estive queimando
um fardo
Esta chama no meu peito
Sem seguro para pagar os danos
Sim, estive queimando desde que você me deixou

Sim, estive queimando desde que você me deixou
Oh, eu tenho queimado desde que você me deixou

“Me sinto como uma mulher assim como me sinto homem”, diz Sam Smith

Em uma entrevista sincera com The Sunday Times, o cantor inglês se abriu sua identidade de gênero, dizendo que ele não se considera um homem cisgênero.

“Eu não sei qual seria o título, mas me sinto como uma mulher assim como me sinto homem”, disse Sam.

Smith explicou que ele gosta de se vestir como drag, revelando que ele sempre faz compras em uma loja específica sobre a temática em Sydney, na Austrália.

“Oh, meu Deus, eu simplesmente compro tudo – saltos, vestidos”, disse ele.

E esse hábito não é nada novo. O cantor de 25 anos disse que costumava ir a escola com roupas femininas quando era adolescente.

“Houve um momento na minha vida onde eu não possuía uma peça de roupa masculina, realmente”, disse ele. “Eu usei maquiagem completa todos os dias na escola, cílios,  Dr. Martens e enormes casacos de pele, por 2 anos e meio”.

Smith também se abriu sobre se assumir como gay, dizendo: “Olhando para trás, era o medo de dizer o que era errado e ofender… E eu tinha 19 anos quando comecei a escrever o primeiro álbum. Eu simplesmente me mudei para Londres de uma cidade pequena – eu era literalmente o único gay na cidade. Eu não sabia o que eu queria dizer. “

Ele também provocou fãs com uma dica do que seu novo álbum, “The Thrill of It All”, que sai em 3 de novembro.

“Eu acho que ele mostra meu crescimento, minha confiança”, disse ele. “Eles mostra o gay que eu me tornei”.

Sam Smith se apresenta no “We Can Survive”

O Sam Smith se apresentou no último sábado (21), no evento “We Can Survive”, em Los Angeles. O evento é promovido todos os anos para arrecadar dinheiro para pessoas que estão lutando contra o câncer. Ele cantou no evento “I’m Not The Only One”, “Pray”, “Stay With Me”, “Like I Can” e “Too Good At Goodbyes”.  Confira fotos e vídeos:

 

Sam Smith fala sobre quem o inspirou a escrever “Too Good At Goodbyes”

Sam Smith abriu seu coração e conversou sobre a inspiração de seu single “Too Good At Goodbyes”, que foi sua sexta canção a chegar no topo das paradas no Reino Unido.

“É sobre um cara que conheci no ano passado”, disse Sam ao Newsbeat.

“Para ser sincero, esta música não é sobre ninguém, isso é sobre mim e como lido com um coração partido. Não se trata da outra pessoa. A outra pessoa foi realmente amável, o que tornou tudo muito mais difícil.”

Sam revelou que o resto do álbum “The Thrill Of It All” não será sobre corações partidos como seu álbum de estreia, o “In The Lonely Hour”, de 2014.

“‘Too Good At Goodbyes’ é uma das quatro músicas do álbum, que é sobre outra pessoa, um relacionamento em que eu estava”, diz Sam.

“Todo o resto do álbum é sobre outras coisas. Estou falando sobre outras coisas neste álbum como a fama, o mundo e os relacionamentos de outras pessoas”.

O novo álbum de Sam Smith, “The Thrill Of It All” já se encontra em pré-venda e será lançado no dia 3 de novembro.

Sam Smith se apresenta no Saturday Night Live

Sam Smith se apresentou pela terceira vez no Saturday Night Live no último sábado (07). O programa foi apresentado pela atriz Gal Gadot, e contou com duas apresentações incríveis de “Too Good At Goodbyes” e cantando pela primeira vez seu mais novo single “Pray”. Confira os vídeos das apresentações:

 

Sam Smith anuncia novo álbum “The Thrill of It All”

Finalmente o grande anúncio foi feito, através das redes sociais do Sam Smith. Não teremos mais que chamar o novo álbum de “SS2”, pois agora sabemos que ele se chama “The Thrill of It All” e será lançado no dia 03 de novembro.

O segundo álbum de estúdio do Samuel já está disponível em pré-venda nas plataformas digitais e na versão física em CD e Vinil na loja oficial do cantor. Além disso, Sam liberou as datas da turnê, que por enquanto só tem datas confirmadas nos Estados Unidos, Canadá e México, confira as cidades confirmadas clicando aqui.

Confira a tracklist completa da edição especial do CD:

  1. Too Good At Goodbyes
  2. Say It First
  3. One Last Song
  4. Midnight Train
  5. Burning
  6. HIM
  7. Baby, You Make Me Crazy
  8. No Peace (feat YEBBA)
  9. Palace
  10. Pray
  11. Nothing Left For You
  12. The Thrill of It All
  13. Scars
  14. One Day At Time

Quem quiser comprar o álbum na pré-venda na forma digital ou física é só clicar aqui.  Comprando o álbum nas plataformas digitais, automaticamente a música “Pray” será baixada em sua conta.

Para mais informações sobre o novo álbum do Sam e novas datas da turnê (que devem ser divulgadas nos próximos dias) fiquem ligados em nossas redes sociais.