SAM SMITH BRASIL | Primeiro, maior e melhor fã site de notícias na América Latina dedicado ao cantor Sam Smith.

Sam Smith apresenta novas músicas em show intimista em Hollywood

Sondado por gritos e mais gritos que saudaram o show de Sam Smith em Hollywood na noite passada (11 de Set.), fãs estão fervosoramente em contagem regressiva para o lançamento de seu álbum!

Quando o esbelto Smith tomou conta do centro do palco do lendário “the Troubadour”, a audiência imediatamente entrou no modo “sing-along” com sua música de abertura “Lay Me Down” de seu álbum vencedor de Grammys “In The Lonely Hour”. “Muito bom ver seus rostos” disse Sam, todo sorridente, antes de seguir o show com mais um hit de seu álbum de estréia.

Muito obrigado por virem esta noite; sinto muito a falta de vocês!” disse Sam Smith à casa lotada que contava com a presença de Quincy Jones, o presidente do comitê da Capitol Music Group, Steve Barnett, e o ex-presidente de programação da BET, Stephen Hill. Ao explicar sua pausa entre álbuns, o cantor e compositor também fez uma promessa. “Foi importante pra mim ficar fora por 18 meses” Sam contou para o público. “Eu prometo a vocês que a (minha) música se beneficiou com isso”.

Sam então passou os outros 50 minutos alternando entre as canções de seu próximo álbum e as favoritas dos fãs – todas tocadas no estilo acústico despojado de sua banda. Esse pano de fundo e a vibe intimista do Troubadour, enfatizaram o tenor impecável e emocionante do cantor.

A setlist para o show da noite incluiu uma balada romântica chamada “Midnight Train”, a animada “One Last Song”, a lenta “Burn It” (“Uma das canções mais pessoas que eu já escrevi na minha vida” disse Sam) e a inspiradora “Pray”, que o cantor chamou de “uma das minhas favoritas”. Sam finalizou a apresentação do álbum com seu single recém-lançado “Too Good At Goodbyes” que provocou um publico apaixonado com palavra por palavra.

De volta a seu catálogo, Sam despertou memórias com músicas como “Like I Can”, “Latch” e “Stay With Me”. Sam também encantou o lugar com um cover de “Try Sleeping With a Broken Heart” de Alicia Keys.

Antes de se jogar no cover de Alicia Keys, Sam notou que escutou diversos tipos de músicas enquanto estava no estúdio gravando. “Essa música realmente me fez conseguir criar este disco” afirmou Sam.

Fonte: Billboard

Sam comenta sobre o lançamento de ‘Too Good At Goodbyes’ e revela mais detalhes sobre o segundo álbum

Sam concedeu uma entrevista ao Elvis Duran Show para discutir sobre seu novo single ‘Too Good At Goodbyes’ e revelou mais detalhes sobre o segundo álbum. Confira abaixo:

Muitas pessoas não sabem que eu estava com Sam Smith há duas semanas e ouvimos esta música pela primeira vez. Nós colocamos para tocar numa sala cheia de geeks de rádio e vi o olhar em seu rosto quando eles começaram a aplaudir de pé, eles te ovacionaram, foi inacreditável, como você se sente?

Parece incrível e quero dizer, naquela época, eu ainda estava insanamente nervoso, não consigo explicar o alívio que estou sentindo agora em apenas ter lançado a música, porque a manti muito perto do meu coração por muito tempo tempo, então estou tão feliz que agora a música está aí e as pessoas podem decidir se gostam ou não.

Bem, eles já decidiram praticamente e acho que você se saiu bem, Sam. Você sabe o que isso significa, quero dizer, eles podem gostar ou detestar a música, como você se sente sobre isso?

Eu fico insanamente nervoso, quero dizer, mais nervoso do que cantar ao vivo. Eu fico mais nervoso quando lanço músicas porque minha música é tão pessoal e é como se alguém estivesse lendo meu diário, então é assustador, realmente assustador. A última semana não foi a mais agradável, mas eu me sinto muito melhor agora e estou feliz.

Há muito por trás de um lançamento, esse será seu segundo álbum e na última vez que estávamos falando sobre isso, você comentou sobre o quanto você estava nervoso era seu primeiro álbum, mas isso agora é algo totalmente diferente. Você pode explicar a todos o que o segundo álbum significa para você e o quanto é diferente do primeiro?

Bem, para mim, este álbum que estou prestes a lançar é mais do que um álbum, cada música nele significa muito para mim e nunca lutei com meu coração ou com minha alma em algo tanto quanto eu tenho feito nesse registro. É verdadeiramente o assunto mais pessoal que já escrevi na minha vida inteira e é insanamente assustador trazê-lo ao mundo mas estou muito orgulhoso disso e achei muito difícil deixá-lo, mas estou pronto agora o trabalho está finalizado e parece adorável, mal posso esperar para estar nas mãos das pessoas.

Nós esperamos um pouco para vê-lo com lançamentos, mas o fato de você ter demorado tanto tempo e tido muito cuidado, porque você quer ser perfeito, eu acho que também significa muito.

Não é necessariamente sobre ser um perfeccionista porque amo todas as imperfeições, é mais sobre apenas tomar o tempo para voltar a algum senso de realidade e passei um tempo em Londres com minha família e meus amigos em casa apenas tentando criar histórias reais e experiências reais sobre as quais posso escrever músicas e foi emocionalmente maravilhoso, tem sido um ano incrível, mas estou tão animado para tocar ao vivo e começar a cantar porque realmente senti falta de tocar ao vivo.

Então, Sam, você disse que esse é o seu álbum mais pessoal, eu sinto que sua música está entre as mais pessoais de todos os artistas. Sua música é tão real que é dificil imaginar que em seu segundo album será ainda mais translúcida

Bem, o primeiro álbum é sobre um cara e um sentimento que eu tive, eu estava apaixonado e foi um disco sobre corações partidos e já nesse álbum cada música representa uma história separada e eu sinto que você aprende mais sobre mim ao ouvir esse registro e eu me coloco mais à frente com minhas opiniões sobre certas coisas, há canções sobre meus relacionamentos e também há algumas histórias de pessoas que eu amo e que são muito próximas de mim, então eu sinto que é um album mais revelador, eu fui mais honesto e também me tornei muito privado na minha vida pessoal, então, para que eu revele minha vida pessoal na minha música, demora muito, eu sei e fiz isso nesse album.

Então, de tudo o que você fez até agora na sua carreira, o que o deixou mais aterrorizado com o momento mais nervoso?

Cantar no Oscar, na verdade eu não gostei. Tive tanto medo, foi horrível.

O que você fez para fingir e superar isso?

Eu tinha que fingir ser Beyoncé, basicamente, eu simplesmente lembro de estar nos bastidores apenas tentando respirar porque era difícil, são muitas pessoas assistindo esse show, acho que são 90 milhões de pessoas, foi uma canção muito difícil de cantar e ter Tom Hardy sentado à sua frente é meio intimidante.

É tão bom ouvir sua música novamente. Há alguma data antecipada para o lançamento do álbum?

Primeiramente eu só queria dizer obrigado por seu apoio desde o início, honestamente, significa o mundo para mim e sobre o álbum, virá antes do Natal, não posso dizer quando, mas antes do Natal, não está longe, eu prometo.

Fonte/Adaptado

TOO GOOD AT GOODBYES: Confira o que a crítica especializada achou da música

Sam Smith é conhecido por ter uma boa recepção da crítica com suas músicas, e com “Too Good At Goodbyes” não vai ser diferente. Confira agora o que a crítica especializada achou da nova faixa do cantor.

VARIETY:

“Mais uma vez, Smith nos encanta com as profundezas da melancolia com um tenor impecável, sem esforço e flexível que parece ser ter sido emprestado de algum lugar nos céu. […] Talvez você também gostaria de uma ponte majestosa que nunca chega; que pode ser o elemento que faltava para a tímida “Goodbyes” um clássico pop. Mas a voz mágica e trágica de Smith é o seu próprio tipo de classicismo, derretendo-o com a sua vulnerabilidade […]”

PITCHFORK:

“Talvez Smith na verdade seja bastante notável em manipular friamente situações emocionais tensas. Mas tão simples como a música está passando bem os conceitos de adeus, as letras não se somam a tudo isso. “Você deve pensar que sou estúpido”, ele começa, mas nada que indica o que seria esse o caso. “Eu apenas estou protegendo minha inocência”, ele acrescenta mais tarde, mas se ele é tão veterano disso, como ele pode ser tão inocente? Ele também canta que você não o verá chorar, mas depois de cantar que ele já chorou, as outras vezes que essa pessoa o deixou. Aguarde, isso não faz a outra pessoa boa em adeus? Pior ainda, seu vibrato aqui soa exagerado como a produção. Ainda há esperança para seu próximo álbum, mas essa música? Menino, tchau.”

HUFFPOST:

“Sam Smith está de volta com outro hino para corações partidos. E desta vez, ele tem um coro gospel atrás dele. Fiel à forma, a melodia lembra um romance disfuncional, e a voz de Smith é acompanhada por um coro de gospel à medida que a música se constrói.”

ET:

“No novo single, Smith traz sua habilidade para a emoção de fala suave para um lugar mais melancólico. Ao contrário de sua maior música até o momento, “Stay With Me”, onde Smith de alguma forma traz uma sensação de romance para uma posição de uma noite, “Too Good at Goodbyes” é quase incubadora, proclamando-se frio pela dor de ser maltratado por um ex-amor.”

MTV:

“Ele ainda soa como um anjo – ele está apenas um pouco triste dessa vez. O primeiro single do segundo álbum de Sam Smith está aqui, e uma coisa é certa: a pessoa que decidiu que não queria ficar com ele é um idiota. Se “Too Good At Goodbyes” é um sinal de coisas por vir, Smith está dormindo com os sons que fizeram sua estréia em 2014, no “In The Lonely Hour”, tão celestial. Muito piano, cordas requintadas, encravamentos dos dedos e o calor de um coro em segundo plano, e aquela voz aveludada e oitava puxa um golpe imediato, e aquela nota que atinge um acorde desolado. Tão lindo quanto a música é, ele corta mais do que a maioria da sua produção até o momento. “Too Good At Goodbyes” toca o tipo de ferida com a qual estamos infelizmente familiarizados,  da frustração que vem quando um amor te colocou para baixo de muitas vezes. Quem nunca disse “Eu nunca vou deixar você perto de mim / Mesmo que você se importe mais comigo / Porque toda vez que me abro, dói” em um momento vulnerável, seja em privado ou para pessoa que quebrou seu coração? “Too Good At Goodbyes” é muito boa e muito real, e estamos aqui pelo Smith, porque ele continua evoluindo como compositor.”

PAPERMAG:

“A canção é sobre um relacionamento chegando ao fim, e tem todos os apetrechos típicos do Smith: notas altas, um coro de harmonização e uma letra triste, mas bonita.”

BUSTLE:

“A letra de “Too Good At Goodbyes” de Sam Smith é para você que  precisa acordar para sair de um relacionamento ruim. […] Depois de dois longos anos fora dos holofotes, Sam Smith liberou um novo single chamado “Too Good At Goodbyes”, e está realmente incrível. A melodia, o tempo, os vocais de Smith – tudo em ponto. E, como se mostra, as frases de  “Too Good At Goodbyes” podem ser apenas a coisa que você precisa para sair de um relacionamento tóxico. […] A música se move junto com Smith, oferecendo uma lembrança das paredes emocionais que ele construiu ao longo de todo o dramatismo. Você quase pode sentir a dor se transformar em raiva quando a música em movimento progride.”

Sam Smith fala sobre hiato, lançamento do novo single e álbum à BBC Radio1

Muitas voltas marcam o ano de 2017, mas poucos se envolveram no mistério e exaltação como Sam Smith. Está certo, o comovente crooner* fez um retorno glorioso para nossas vidas e ondas sonoras com “Too Good at Goodbyes” e sim – antes de você perguntar – fará você chorar. Servindo todos os fatos para Grimmy, Sam nos deu uma ideia sobre o que a noite antes do grande e esperado lançamento do single pareceu:

“Noite passada foi horrível, verdadeiramente horrorosa. Minha família e amigos estavam comigo e eu apenas tinha que os convidar para sair às 11 horas porque me sentia fisicamente doente. E então eu acordei estranhamente às 4 da manhã e tive que comer um Snickers. Eu estava comendo nervosamente e bebendo café.  Mas me senti aliviado essa manhã e estou tão feliz por isso. É porque a canção é tão pessoal e, mais do que nunca com esse álbum e essa música, é como se eu estivesse publicando meu diário. É assim que eu me sinto.”

Então, o que exatamente Sam tem feito desde 2014? Sam optou por um ritmo de vida mais lento.

Sam: “Eu praticamente sentei em minhas calças, assistindo “Bake Off”. Esse tipo de coisa. Tenho estado aqui em Londres com minha família, indo a clubes e comendo McDonald’s. Esse último ano foi, por uma vez, como se não tivesse sido sobre mim.  Foi sobre minha família, meus amigos, estando lá por eles e eu fui a formatura da minha irmã e estive lá por todos os meus amigos. E agora está indo para ser sobre mim de novo, basicamente. Estou ansioso porque é como se eu fosse um desempregado e acho que minha família está cansada de mim sentado no sofá”.

Com 12 milhões de álbuns vendidos mundialmente, um álbum Nº 1, 5 singles Nº 1 no Reino Unido, um Oscar, um Globo de Ouro, 3 Brit Awards, 3 Billboard Music Awards, 4 Grammys Awards e 6 Mobos; é seguro dizer que tem havido muito campanha publicitária sobre o novo material do Sam.

Grimmy: Primeiramente, como você começa a imensa tarefa de completar um álbum tão estratosférico?

Sam: “A maneira como eu escrevo minha música é que eu venho com títulos e então eu escrevo o álbum embaixo do título. Eu tinha o título “In The Lonely Hour” bem antes de começar a escrever o álbum, realmente. Então eu tinha o título, provavelmente dois anos e um pouco mais e é o mesmo título. Eu dei a meu time uma monumental dor de cabeça, eu enviei uma mensagem a eles, provavelmente há um mês, dizendo: “Não tenho certeza se isso deve ser o título!”.

G: Em segundo lugar, onde uma pessoa armazena todos esses gongos?

Sam: “Não tenho todos. Eu dei um pouco para minha família e alguns estão guardados. Acho que quando eu tiver 70 anos e ninguém ouvir mais minha música, eu apenas irie a unidade de armazenamento e deitarei neles”.

Falando sobre o preço emocional que suas baladas assumiram, Sam revelou que ele já estava excluído da tristeza antes de levá-las ao palco e as cantar.

“A maioria das músicas eu meio que saí emocionalmente delas e eu posso cantar. Existe uma melodia neste álbum que, sempre que eu canto, não consigo me livrar desse lugar porque é realmente bastante intenso mas ainda é minha canção favorita para cantar. Eu não posso expressar o quão é difícil isso é no músculo. Você poderia ser a pessoa mais saudável do mundo e, sabendo, quando eu vi a Adele cancelar esses shows, é de partir o coração e é intenso. Você precisa ser um atleta quando você está viajando, então estou nervoso pela minha turnê, porque eu sei que haverá momentos em que eu acordarei e minha voz estará rouca. Eu não posso beber álcool. Não posso ter queijo. Não posso ter alimentos picantes. Basicamente, algo divertido, não posso ter. Vou beber chá de camomila e assistir Sex and The City”.

*crooner: é um epíteto dado a um cantor masculino de um certo estilo de canções populares, apelidado de pop tradicional. Um crooner é um cantor de baladas populares. O cantor é normalmente acompanhado por uma orquestra completa.

Fonte\Adaptado

Sam Smith revela detalhes de novo álbum em entrevista

Sam Smith está de volta com seu novo single. “Too Good At Goodbyes” marcou o Reino Unido com sua balada tradicional desde “Writing’s On The Wall”, trilha sonora premiada do filme “007: Spectre”. O single também é uma prévia do próximo álbum de estúdio de Sam Smith, que será lançado até o final do ano, o sucessor do “In The Lonely Hour”.

Too Good At Goodbyes” foi escrita com um colaborador de longa data de Sam Smith, Jimmy Napes, assim como Stargate. De acordo com Sam, “essa música é sobre um relacionamento em que eu estava e é basicamente sobre estar bem e ser despejado. Faz um tempo desde que eu lancei uma música nova, e eu sinto que esse primeiro single pode dar o gostinho do que está vindo.

Sam Smith afirmou para a rádio Beats 1 que seu novo álbum sairá antes do Natal deste ano. Terá duas versões: Standart e Deluxe. Uma contendo 10 faixas e outra contendo 14 (respectivamente). O álbum conta com colaborações de Timbaland, assim como Malay, que é conhecido por seu trabalho no álbum de Frank Ocean “Blonde”  e no álbum da cantora Lorde “Melodrama”. O álbum também conta com um dueto secreto, com um artista que ainda não foi revelado.

Em antecipação ao lançamento de seu álbum, Sam Smith realizará shows intimistas em Los Angeles, Nova Iorque e Berlim, ainda neste mês.

Fonte: Consequence of Sound.

TOO GOOD AT GOODBYES: Escute o novo single do Sam Smith

A ESPERA ACABOU LITTLE SAILORS!! Finalmente o primeiro single do novo álbum do Sam Smith foi liberado.

A faixa “Too Good At Goodbyes” foi composta por Sam Smith e Jimmy Napes (trabalhou com Sam no “In The Lonely Hour”), e a produzida por Jimmy Napes e Stargate (trabalhou com Beyoncé, Rihanna, Coldplay, Sia, entre outros).

Escute o single a seguir, na íntegra no spotify:

Sam Smith anuncia mini-turnê para divulgar seu novo single

Sam Smith irá retornar aos palcos em breve. Alguns fãs receberam um e-mail com as datas de shows privados, que o cantor irá realizar para divulgar seu novo single “Too Good At Goodbyes”.

Os fãs que receberem o e-mail devem se inscrever num formulário e alguns serão sorteados para ganhar ingressos.  Os shows irão acontecer em Los Angeles, Londres,  Nova Iorque e Berlim.

Confira a seguir o e-mail sobre os shows e as datas:

Caso o Brasil seja incluído na agenda de divulgação do Sam Smith, iremos divulgar em nossas redes sociais.

Primeiro, maior e melhor fã site de notícias na América Latina dedicado ao cantor Sam Smith.